Uma raposa, perseguida por caçadores, cruzou-se com um lenhador e pediu-lhe ajuda. O lenhador aconselhou-a a entrar na sua cabana e a esconder-se num canto.

Pouco depois, apareceram os caçadores e perguntaram ao lenhador se tinha visto a Raposa. Este respondeu-lhes que não mas, enquanto falava, apontou para a cabana. Os caçadores não compreenderam os seus gestos e, como acreditaram nas suas palavras, foram-se embora.

Livre de perigo, a raposa saiu do esconderijo e preparou-se para seguir o seu caminho sem dizer nada.

– És uma ingrata. Salvei-te a vida e nem sequer me agradeces – censurou-a o lenhador.

Ouvindo isto, a Raposa respondeu-lhe:

РTer-te-ia agradecido e muito, se tivesses atuado ṭo bem como falaste e se as tuas ṃos ṇo tivessem atrai̤oado as tuas palavras.

Moral da história:
Atua de acordo com o que dizes.

Fábula de Ésopo



Deixe o seu comentário