Um dia a Lebre encontrou a Tartaruga e ridicularizou o seu passo lento e miudinho.

– Muito bem – respondeu a Tartaruga sorrindo. ““ Apesar de seres tão veloz como o vento, vou te ganhar numa corrida.

A Lebre, pensando que tal era impossí­vel, aceitou o desafio. Resolveram entre elas que a raposa escolheria o percurso e seria o árbitro da corrida. No dia combinado, encontraram-se e partiram juntas.

A Tartaruga começou a andar no seu passo lento e miudinho, nunca parando pelo caminho, direto até í meta.

A Lebre largou veloz, mas algum tempo depois deitou-se í beira do caminho e adormeceu. Quando acordou, recomeçou a correr o mais rapidamente que pode. Mas já era tarde… Quando chegou í meta, verificou que a Tartaruga tinha ganho a aposta e que já estava descansando confortavelmente.

Moral da história:
Devagar, mas com persistência, completamos todas as tarefas.

Fábulas de Ésopo



Deixe o seu comentário