Dizem os ciganos que todos temos um destino!

Dizem também que este destino nos persegue, e nós, diante de sua insistência, acabamos vivendo-o como foi escrito.

O que desconhecemos é que embora o caminho seja um só, ele tem alguns atalhos.

Muitos passam tão tristes por seu destino, que não percebem, outros tão raivosos que esquecem de olhar ao redor.

Estas trilhas são as chances de modificar o caminho, de torná-lo mais ou menos penoso. Quem crê, sempre espera que Deus abra uma porta e ele abre. Enxergá-la, seguí­-la, ou não, é uma questão de escolha e de fé.

O destino não está pronto! Ele está em constante transformação e, a cada dia, fazemos novas escolhas, o que prova que ele está em nossas mãos.

Tornemos nossa passagem mais alegre, plantemos esperança e amor por este caminhar, porque, novamente, Deus nos oferece a chance de escrevermos a nossa própria história.



Deixe o seu comentário