Certa vez um homem estava no deserto e claro, só havia areia por lá. Ele segurava a areia e queria que ela ficasse em suas mãos, mas, ela insistia em escapar por entre os seus dedos. Finalmente, como não encontrava a fórmula de fazer a areia permanecer em sua mão, começou a chorar e as suas lágrimas cairam sobre a areia. E, surpreso, viu que a areia agora não mais escorregava de suas mãos. Compreendeu que o sofrimento tem o seu valor. Que as lágrimas fazem com que a areia não deslize e que o sofrimento pode irrigar as idéias e tornar as colheitas da mente mais abundantes.



Deixe o seu comentário