“Deficiente” é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.

“Louco” é quem não procura ser feliz com o que possui.

“Cego” é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus mí­seros problemas e pequenas dores.

“Surdo” é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.

“Mudo” é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.

“Paralí­tico” é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.

“Diabético” é quem não consegue ser doce.

“Anão” é quem não sabe deixar o amor crescer. E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:

“Miseráveis” são todos que não conseguem falar com Deus.

“A amizade é um amor que nunca morre. ”

Renata Villela



Deixe o seu comentário



1 Comentário para “Deficiências (por Renata Villela)”

  1. Márcia Diz:

    O texto “Deficiências” realmente é lindo, mas lamento informar que não é de Mário Quintana, como as pessoas vêm atribuindo, e sim de Renata Villela, como poderá ser verificado no link http://www.floramarela.com.br/pag.asp?id=4&sub=8

    Por uma questão de justiça e respeito aos direitos autorais, talvez seja interessante que troque o nome do autor.

    Abraços.